Bruno Arruda

    Bruno Arruda

    Mauá (SP)
    0seguidor7seguindo
    Entrar em contato

    Comentários

    (1)
    Bruno Arruda
    Bruno Arruda
    Comentário · ano passado
    Propriedade intelectual é um sinônimo de direito autoral no contexto desse artigo? Ou são conceitos diferentes?

    Esse artigo foi excelente, parabéns!! É difícil encontrar conteúdos na internet abordando o tema, ainda mais de forma tão esclarecedora e direta.

    Recomendações

    (40)
    Daniel A. B.
    Daniel A. B.
    Comentário · há 2 meses
    @alestrazzi
    Olá boa tarde.

    Algo que ficou faltando em seu artigo e acreditado que seja o principal assunto no momento em relação à previdência é a questão dela ser deficitária e estar gerando um grande rombo aos cofres públicos (contribuinte).

    Qualquer um que afirme que não existe déficit ou é ignorante ou age de ma fé.

    Além do fato de a previdência no Brasil ser o maior esquema de pirâmide que existe no mundo.

    Hoje a pessoa paga pra quem recebe, com a expectativa de no futuro haver pessoas suficiente entrando para pagar a dela.

    Isso na nossa lei se chama pirâmide financeira.

    Como alguém pode garantir que no futuro haverá pessoas suficiente para pagar a aposentadoria do inativos.

    Talvez no futuro a contribuição dos ativos tenham que ser 100%, para bancar os inativos. Ou então o governo produzir inflação galopante e ligar as impressoras pra dar um jeito nisso.

    Qualquer análise da sociedade demonstra que as pessoas estão tendo menos filhos e as forma de se trabalhar estão mudando.

    Menos filhos significa menos pessoas no sistema INSS.

    A “uberizacao” da economia (p2p) demonstra isso. Pessoas ganhando dinheiro e contratando serviços fora da lei soviética da CLT.

    Agora imagine daqui 10 ou 20 anos isso. Muito menos pessoas na CLT significa menos recurso para o sistema previdenciário.

    Conclusão: No mínimo o INSS deveria ser opcional. Qualquer lei que obrigue alguém a algo que ela não deseja é imoral.

    Sugiro as pessoas não contarem com a aposentadoria estatal. Façam a sua própria. Se possível trabalhem e não paguem o INSS e invista em algo mais certo para o futuro.

    O Hell de Janeiro é um bom exemplo disto. Varias inativos sem receber. Agora imagine isso espalhado para o resto do país.

    Ou muda a previdência ou por volta 2021 o sistema quebra.
    Edu Rc
    Edu Rc
    Comentário · há 3 meses
    "Requeira à Polícia Federal. Se preencher os requisitos legais para tanto, provavelmente, lhe será concedido o direito de adquirir, registrar e possuir uma arma legalmente dentro de sua residência." -> O problema é que porte de armas não é como uma CNH, que após os testes a pessoa o obtém. A posse / porte depende do delegado estar de acordo também e isto é discricionário, podendo ser negado sem justificativa. Basicamente, uma pessoa com armas na cintura nega a um cidadão o direito ter uma também. Aliás, a mudança é justamente para tirar a arbitrariedade e subjetividade, tornar o porte de armas como a CNH, onde após os testes e provas objetivas o porte é concedido. Achar que a pessoa está mais insegura com arma é... achismo. Você pode não querer, você pode não sentir-se seguro. Este é um sentimento individual, mas na prática há sim mais segurança. Pergunte as pessoas que reagiram armas e estão vivas... "Ah, mas e as que morreram?" ao menos tiveram a chance de se proteger e hoje nem isto temos. Além disto, nem todos que reagem armados notificam a polícia e o motivo é óbvio: muitos acabam presos por se proteger (veja o caso do cunhado da Ana Hickman). Mais ainda, os índices de homicídios, assaltos e roubos nem de longe diminuíram ao longo os anos em que o Estatuto do Desarmamento esteve me vigor, muito pelo contrário, vem subindo a cada ano que passa. Mesmo que o marginal chegue de armas em punho, pode entrar em um prédio e raramente terá alguma resistência (SP vive isto com regularidade), pois ter armas LEGAL é uma raridade no país. Permitir o cidadão ter armas, no mínimo vai impor alguma dúvida a quem quiser invadir um prédio. Entrar em um bar, a mesma coisa... Ainda que o marginal chegue de armas em punho, que venha em dupla, pode ser que 10 cidadãos no bar tenha uma arma LEGAL e certamente o marginal não irá dominar TODOS, em algum momento de distração alguém reage. Além disto, precisa levar em conta a população rural. A polícia hoje não atende sequer nas capitais, que dirá no interior, em sítios e fazendas... O que dizer a estas pessoas? "Não tenha armas, confie no Estado para te proteger"??. O que o Estado não pode e não deve é tirar do cidadão o direito de sentir-se protegido. Ainda que seja mera sensação, permita que o cidadão escolha. Armas não é solução para a violencia, é a solução para o cidadão, para o indivíduo e naquele momento que um marginal entra na casa, no momento em que um marginal tenta coagir o cidadão, a família... Se armas não dá segurança, qual motivo de TODAS, ABSOLUTAMENTE TODAS as autoridades terem segurança fortemente armados e com armamento que a grande parte da população NUNCA terá acesso?

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/09/mulher-atira-em-ladroes-que-invadiram-casa-nos-eua-e-mata-um.html

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/01/jovem-mae-de-18-anos-dispara-fuzil-e-mata-invasor-para-proteger-bebe.html

    O áudio da ligação foi gravado pela polícia:

    - Estou com meu bebê sozinha em casa, vocês podem mandar alguém imediatamente?
    - Suas portas estão trancadas?
    - Sim. Tenho duas armas nas minhas mãos, posso atirar nele se ele tentar entrar?
    - Não posso dizer que você pode fazer isso, mas faça o que você precisar fazer para proteger seu bebê.

    Invadiu a casa? Na dúvida é marginal, deve levar chumbo grosso e a Lei tem OBRIGAÇÃO de proteger a vítima. É o mínimo.

    Perfis que segue

    (7)
    Carregando

    Seguidores

    Carregando

    Tópicos de interesse

    (25)
    Carregando
    Novo no Jusbrasil?
    Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

    ANÚNCIO PATROCINADO

    Outros perfis como Bruno

    Carregando

    Bruno Arruda

    (00) 00000-00...Ver telefone

    Entrar em contato